UCI quer 'velódromos menos problemáticos' para as Olimpíadas de 2024

Ciclismo de pista distribui medalhas em dez provas nas Olimpíadas, cinco para os homens e cinco para as mulheres

O presidente da UCI, a União Ciclística Internacional, entidade que comanda o esporte no mundo, se disse “um pouco frustrado” com o fato de o velódromo do Rio ser a arena mais problemática para os Jogos Olímpicos de agosto. Em entrevista à agência de noticias AP (Associated Press), ele citou o atraso nas obras com um dos sinais de desprestígio do ciclismo de pista ultimamente. Outro, que também lhe causou desagrado, foi o fato de o velódromo erguido para as Olimpíadas de Tóquio, em 2020, ter sido construído fora da capital japonesa, a 120 km de distância.

Por conta desse aparente “desprestígio”, Brian Cookson já tem mantido conversas com os pretendentes a sediar os Jogos de 2024. Ele vem fazendo contato com representantes de candidaturas, entre elas os de Los Angeles, e fez referência ao velódromo de Paris, outra candidata, que está novinho em folha porque foi construído para o Mundial do ano passado.

Cookson quer que as Olimpíadas de 2024 sirvam para impulsionar o ciclismo de pista, com “mais eventos valendo medalha e um velódromo menos problemático”.

No programa olímpico atual o ciclismo de pista distribui medalhas em dez provas, cinco masculinas e cinco femininas: velocidade (sprint); velocidade por equipe; keirin; perseguição por equipes; e omnium, a caçula dentre todas, novidade que estreou em Londres-2012.

O ciclismo de pista está nas Olimpíadas desde a primeira edição dos Jogos da Era Moderna, em Atenas-1896. Nesse tempo todo só uma vez não apareceu no programa olímpico: foi em Estocolmo-1912, quando houve apenas disputa de estrada.

Source: De Bike (Globo) / UCI quer 'velódromos menos problemáticos' para as Olimpíadas de 2024

Comments

comments

Greg

Old school developer with a passion for food, bikes and a whole lot of weird things.

Leave a Reply

Your email address will not be published.