My Personal Space

Ter seu espaço invadido por uma pessoa nunca é legal. O termo “My Personal Space” – Meu espaço pessoal, é frequentemente usado com relação ao espaço físico ao redor de uma pessoa, ou um canto específico de um cômodo ou casa.

Antes de mais nada que o termo “Idiota” neste documento, quando escrito com o I maiúsculo na verdade se refere a espécie idiota e não a um Idiota em específico.
O Idiota, embora ainda não cientificamente provado, é uma das mutações mais frequentes e presentes do Homo Sapiens da família Hominidae. Mamífero bípede, com praticamente todas as características idênticas ao Homo Sapiens, eles sofreram mutações que, por alguma razão, os incapacitam de conviver harmoniosamente em uma complexa estrutura social.
O nome científico da espécie só poderia ser Homo Insapiens, que poderia ser traduzido vagamente para “Homem Idiota” ou mais precisamente para “Homem Sem Sabedoria”. Meramente para manter padrões de internacionalização do latin, vou encurtar o Homo Insapiens para HI de agora em diante.

Acabou a aula sobre teoria da evolução, voltemos ao “My Personal Space”

Personal Space – Conhecido nas escolas mais “conservadoras” como o espaço de 30cm a partir da extremidade mais protuberante do seu corpo. No meu caso… todos sabem qual é essa né?
Isso mesmo… meu nariz.

Em todo caso… essa definição é simples… simples até demais. No escritório, isso hoje é considerado um raio de 60cm a partir do centro da baia de um funcionário. Arquitetos, designers de interiores e empresas de segurança no trabalho usam este numero para diversos fins, desde estudos sobre deslocamento de funcionários em casos de incêndio até desenhos de baias de trabalho que ocupem menos espaço físico gerando maior eficiência imobiliária.

In my Bubble
Mesmo assim, ainda estamos falando de espaço físico. Imaginar uma bolha de 120cm de diametro em volta de uma pessoa é concebível.. mas na sociedade em que vivemos, essa situação é constantemente impossibilitada. Você já pegou o metrô da linha vermelha em horário de pico?
Enfia seu Personal Space no … bolso porque a coisa vai ficar apertada.
Agora veja, isso é uma invasão consciente, é um compartilhamento de um conglomerado de Personal Spaces em prol de um bem maior… transporte. Neste momento, você e todos os outros 7,123 pessoas no vagão, estão cedendo seus Personal Spaces, ar e liberdade de movimentação para poder usufruir do transporte público.
Agora o que acontece quando o seu Personal Space é invadido por atitudes, frases e outros intangíveis? Como lidar com essas situações desagradáveis.

Devido a triste verdade de que infelizmente esse tipo de abuso acontece geralmente partindo de um HI Masculino para um HS feminino, eu vou exemplificar situações usando essa visão, embora existem muitos casos contrários, onde um HI fêmea abusa do Personal Space de um HS macho.

Know the field – do inglês, conheça o campo.

Saber sua situação geográfica, estratégica e política são de grande importância. Vou abordar algumas situações que facilmente podem ser extrapoladas para diversas outras variantes de maior ou menor intensidade.

Estranhos
Num beco escuro a noite, em um bairro suspeito, você está sozinha e ouve um “adorei essa sua bolsa. Gostosa!”
Bom, essa é a pior situação imaginável… primeiro, que catso você está fazendo num beco escuro a noite, em um bairro suspeito?
Corra, grite, chute, spray de pimenta, armas letais… bom… não há discussão. Saia de lá de qualquer forma.

Em uma balada, um cara fica na sua cola, chegando junto, tentando puxar conversa, querendo te tocar.
Se você está sozinha:
Enganação
Ache uma mulher bonita, se desculpe do HI pedindo um minuto que você quer falar com sua amiga, chegue perto dela e puxe qualquer conversa, pergunte a ela se ela sabe onde fica o banheiro, se ela sabe o nome do dono do lugar, qualquer coisa que faça com que ela troque algumas palavras com você. Volte para o seu HI, aponte para a menina e diga, “desculpa, não posso mais falar com você senão a minha amiga vai ficar puta comigo – ela ta afim de você”. Se desculpe novamente e saia de perto dele.

HI alpha ou se você der sorte, um HS (diga-se de passagem não são muitos os HS machos que frequentam baladas)
Ache um HI/HS que lhe agrade visualmente, chegue junto e dê atenção a ele. Geralmente os HIs de menor escalão sucumbem aos HI alpha ou aos HS.
O risco aqui é que o tiro pode sair pela culatra e você pode acabar com uma situação pior ainda tendo alguém mais mala perto de você.

Filha da Puta
Desligue seu celular sem que ele perceba, anote o numero do seu ex em um papel com o nome da atual namorada dele, dê para o HI e diga, meu celular tá sem bateria agora, mas me liga amanhã para a gente combinar alguma coisa, eu preciso ir embora.

Em ambientes públicos e inconvenientes como shoppings, ruas e lojas.
HIs são a maioria hoje. Eles estão em todos os lugares e inevitavelmente você terá situações desagradáveis em qualquer lugar.
Um “delicia” ou “nossa” quando você passa, e em alguns casos até “Ô lôra, vem cá e deixa eu te fazer feliz” (você pode substituir o “lôra” por “morena”, “ruiva”, “dilicia” e outros adjetivos genéricos que não tem apelo nenhum se quiser).

Plano de ação em uma situação destas é o não confronto. Ignorar é o melhor remédio. É como um filhote de cachorro de rua que faz questão de chamar a atenção de todos para ganhar alguma atenção e se possível comida. Se você der atenção uma vez… já era. Ele conseguiu o que queria.

No escritório
Sim, você trabalha todo dia com HIs
A maioria dos HIs limitam-se, em ambientes de trabalho, aos abusos de iguais hierárquicos ou pessoas abaixo da escada corporativa. O fato deles estarem em uma escada corporativa, acima ou no mesmo degrau que você, os dá uma sensação de superioridade. Se eles estão abaixo de você corporativamente, raramente eles terão coragem de invadir seu espaço (pelo menos não presencialmente).

Abaixo da escada
Nestes raros casos, uma repreensão verbal como:
– Desculpe-me fulano, não vou tolerar este tipo de conversa.
geralmente já é o suficiente. Em casos mais sérios, o desligamento do HI pode ser a única solução. Situações de desligamento são raras, tendo em vista que os HIs são seres com complexos de inferioridade e geralmente tem medo da autoridade.

No mesmo degrau
Nestes casos, os HIs sentem-se iguais, e por serem HIs, isso significa que ele se acham superiores. Os abusos são geralmente em forma de brincadeiras desagradáveis, que somente ele e os outros HIs (geralmente nos degraus inferiores da escada) acham engraçado. Essas brincadeiras são feitas fora de contexto, de forma gratuita e inadequada. Elas geralmente são tentativas frustradas e inconvenientes de se mostrar superior.
Nestes casos, a última coisa que se deve fazer é humilhar o HI publicamente, tendo em vista que isso o instiga mais a provoca-la, da forma cada vez mais pública para mostrar aos outros HIs o quanto superior ele é (independentemente de você poder destruí-lo moralmente com argumentos) – lembre-se, HIs desconhecem estrutura sociais mais complexas que envolvem respeito e status moral… é tudo uma questão de cargo e agressividade. Como chimpanzés, aquele que demonstra mais agressividade, mais força, se torna o líder da capela, o mesmo processo primitivo de estrutura social existe entre os HIs.
Neste caso, afrontar você vira um sinal de força e coragem entre os HIs.
Chame-o de forma que não seja perceptível que você esta reagindo a um de seus ataques, leve-o para um local mais particular e diga algo como,
– Fulano, eu não gosto que você fale comigo deste jeito, peço que me trate com respeito. Eu não falto respeito com você e o mínimo que você pode fazer é me retribuir esse favor.
A questão aqui é evitar confrontos, HIs são muito inseguros e fazê-los sentir acuados apenas estimula o comportamento agressivo.
Em casos reincidentes, envolva um de seus superiores.

HIs em posições superiores na escada corporativa
Este é o pior cenário para uma pessoa sofrendo este tipo de abuso, porém, geralmente, os HIs em posições de liderança de empresas tendem a satisfazer seus egos já por estarem em posições de poder.
Geralmente conversas calmas e que demonstram seu desconforto com a situação geralmente resolvem a questão. Por estarem em posição de poder, eles tendem a procurar exercer a suposta “superioridade” naqueles que a aceitam com maior facilidade. Eles evitam confrontos para não parecerem fracos na frente dos outros.
Claro que existem aqueles, que, por estarem em situações de suposto poder, procuram impor esse poder, neste caso, geralmente as “brincadeiras” não aceitas viram agressões morais ou profissionais. Nestes cenários, lidar diretamente com o HI não surtirá efeitos, podendo inclusive piorar a situação.
Procure superiores do seu HI, tome as medidas necessárias para que seu comportamento seja identificado por outros. Se ele não recuar, ou não achar outro alvo para sua necessidade de se impor, poucas são as opções.
Infelizmente, aqui no Brasil, casos de assédio moral são dificilmente vencidos e geralmente acabam em um acordo que termina por prejudicar ainda mais a vítima.

Conclusão

Embora o texto tenha começado com conotações cômicas, o assunto é sério, perturbador e infelizmente não é incomum no mundo em que vivemos.
Todos nós, ocasionalmente falamos algo fora de lugar, fazemos uma brincadeira errada, somos demasiadamente agressivos sem razão e isso tudo faz parte, mas o que nos torna de fato Humanos é a capacidade de perceber nossas ações erradas e não repetí-las, é a capacidade de perceber que erramos e pedir desculpas por uma brincadeira ou por uma resposta atravessada.
Se errar é Humano, Humano é reconhecer o erro e impedi-lo de acontecer novamente.

Se você se sente acuado, se seu espaço pessoal está sendo invadido, se você se sente agredido, seja moralmente, pessoalmente ou sexualmente, essa situação não pode passar em branco. Exponha sua opinião, peça que a pessoa em questão demonstre cortesia e respeito, se isso não surtir efeito, notifique seus superiores ou colegas de trabalho, faça uma reclamação formal se for o caso.
Por um fim nisso não depende somente de você, mas você pode fazer toda a diferença.

Comments

comments

Greg

Old school developer with a passion for food, bikes and a whole lot of weird things.

Leave a Reply

Your email address will not be published.